Blog Pró-criança

06 maio 2020 Todas as unidades

Educadores de música vencem a barreira do isolamento com criatividade

Em tempos de pandemia, os educadores do Movimento Pró-Criança que trabalham na área de música recorreram à tecnologia, mas principalmente à criatividade para manter os cursos. E mesmo à distância os resultados têm sido animadores.

Responsável pelas aulas de violino na unidade da ONG no Bairro do Recife, o professor Bernardo Lourenço se viu diante de dois desafios: o primeiro foi adaptar as aulas para o ambiente virtual, o segundo era como ensinar os beneficiários se boa parte não tem o instrumento em casa.

O problema das aulas on-line foi resolvido com a gravação de vídeos semanais enviados para o WhatsApp dos alunos e outros com conteúdo extra publicados no canal criado pelo educador no YouTube, o Cordas 321. E como resolver a falta de violino?

“Com uma garrafa pet de refrigerante, por exemplo, a criança faz o desenho das quatro cordas e das quatros marcas. Com duas ou três folhas de papel A4 coladas é confeccionado o arco. Assim dá para simular um violino perfeitamente, pois a forma esférica da garrafa é a mesma da posição das cordas do instrumento real”, explica.

Ainda segundo Bernardo, ao executar a música o jovem deve cantar as notas. “Dessa forma o aluno aprende a mecânica, a maneira correta de segurar o instrumento, digitar, o vibrato (balanço da mão esquerda), os golpes de arco e a executar músicas simples”, afirma o educador.

Percussão

No curso de percussão, o uso de materiais recicláveis já fazia parte do conteúdo programático, mas ganhou ênfase neste período de isolamento social. Além disso, os alunos passaram a receber vídeos de grupos profissionais que fazem música a partir do som do próprio corpo dos integrantes, e a estudar a história e origem dos instrumentos.

“Tento mostrar para eles o leque de possibilidades que existe para tocar percussão, ao mesmo tempo que aprendem a reaproveitar material reciclável transformando em instrumentos musicais”, conta o educador e mestre do maracatu do Pró-Criança, Tarcísio Resende.

Flauta doce

Exercícios de musicalização com as mãos e atividades teóricas também estão sendo utilizados para educandos do curso de flauta doce. A formação é oferecida pela unidade do Pró-Criança, em Piedade, Jaboatão dos Guararapes, para jovens com idades entre 9 e 14 anos.

Com a evolução no aprendizado do instrumento graças a videoaulas realizadas nas últimas semanas, os alunos vão receber apostilas e flautas gratuitamente. Ao todo, serão 20 jovens beneficiados com a iniciativa.

“A apostila tem conteúdo com teoria e prática para um semestre do curso. São exercícios e músicas que vão aumentando gradativamente o nível de dificuldade”, diz a educadora Mirty Kátlhy.

Todos os alunos já tiveram aula de como higienizar corretamente a flauta com álcool. Os educandos também foram orientados de que o instrumento é de uso pessoal e, portanto, nunca pode ser compartilhado.

Icone comentário Deixe seu comentário