Blog Pró-criança

18 maio 2020 Todas as unidades

‘Pró-Criança Faz Bonito’ contra o abuso e a exploração de menores

Nesta segunda-feira (18), o Brasil vive o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Em Pernambuco, terceiro Estado do Nordeste com maior número de denúncias, o Movimento Pró-Criança promoveu uma ação à distância com os alunos.

De casa, respeitando o isolamento social devido à pandemia do novo coronavírus, meninos e meninas assistidos pela ONG confeccionaram cartazes e gravaram vídeos com mensagens de alerta contra crimes como: violência psicológica, física ou sexual, tortura e trabalho forçado.

Os alunos foram orientados por assistentes sociais e psicólogos que atuam nas três unidades – Coelhos, Piedade e Recife Antigo. Os profissionais são responsáveis por realizar na entidade a campanha “Pró-Criança Faz Bonito”, inspirada na iniciativa “Faça Bonito” promovida há 20 anos pelo Comitê Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes.

“A ação tem como objetivo desenvolver o trabalho de prevenção principalmente neste tempo de distanciamento social, onde os cuidados devem ser redobrados. As denúncias ficam mais difíceis e é nesse momento que devemos ficar alerta e aumentar a nossa vigilância”, explica a assistente social do Pró-Criança, Ana Lourdes Teixeira.

Dados recentes do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos apontam que até junho do ano passado a pasta notificou 2.875 casos de abuso ou exploração sexual de menores no Estado. A maior parte das vítimas tinham de 0 a 14 anos, já a maioria dos suspeitos tinha idades entre 18 e 45 anos e 50% dos crimes ocorreram dentro da casa do menor.

No Brasil, até junho de 2019 foram 42.585 denúncias, os números compilados pelo Governo Federal são do Disque 100, principal canal de denúncias para esses tipos de crimes. “Grande parte dos abusos contra crianças e adolescentes é cometida por pessoas próximas às vítimas. Por isso, as ações de prevenção são tão importantes, pois elas visam conscientizar as crianças, os adolescentes e seus familiares. Devemos lembrar que esse cuidado é de todos”, afirma Ana Lourdes.

Além de estimular campanhas, o Pró-Criança trabalha a prevenção diariamente com o acompanhamento dos profissionais do setor psicossocial. Segundo Ana Lourdes, em casos de abuso ou exploração sexual, a instituição presta um primeiro serviço de escuta, em seguida aciona os órgãos competentes, a exemplo do Conselho Tutelar.

Assim como os cursos foram adaptados para o meio digital, devido à pandemia de Covid-19, o trabalho dos assistentes sociais e psicólogos do Pró-Criança também permanece com acompanhamento dos beneficiários e seus familiares via telefone ou redes sociais.

18 de maio
Esse dia foi escolhido porque em 18 de maio de 1973, na cidade de Vitória (ES), um crime bárbaro chocou todo o país e ficou conhecido como o “Caso Araceli”. Esse era o nome de uma menina de apenas 8 anos de idade, que teve todos os seus direitos humanos violados, foi raptada, estuprada e morta por jovens de classe média alta daquela cidade. O crime, apesar de sua natureza hedionda, até hoje está impune.

Icone comentário Deixe seu comentário